4º APEG Kongress 2012

4º APEG Kongress

2011-10-30

4º Congresso Internacional da APEG 2012

4º Congresso internacional da APEG
Coimbra, Faculdade de Letras, 28-30 de Junho de 2012
 
 
Call for papers
 
Tema geral: Filologia depois da Filologia. A Germanística no Século XXI
 
Ao longo das últimas décadas, o quadro epistemológico das Humanidades sofreu profundas alterações. A ampla dinâmica de reconceptualização verificada proporcionou um efeito de abertura que contribuiu de modo decisivo para a ampliação do campo do conhecimento, para a pluralização teórica e metodológica e para o emergir de possibilidades muitas vezes insuspeitadas de pesquisa inter- e transdisciplinar. A Germanística, repensada como “Kulturwissenschaft”, foi parte integrante desta dinâmica e, nos seus aspectos mais produtivos, beneficiou dos processos de descentramento que transformaram uma “ciência alemã” confinada aos estudos da língua e da literatura numa disciplina crescentemente plural, capaz de se abrir para novos métodos e objectos e para quadros de análise comparativos de âmbito transnacional. O conceito de filologia foi-se tornando, assim, aparentemente obsoleto, como signo de um paradigma de raiz conservadora, ultrapassado nos seus métodos e pressupostos e limitado pela estreiteza de um horizonte nacional, quando não nacionalista.
 
O 4º Congresso Internacional da APEG propõe‑se oferecer um espaço amplo de discussão sobre as potencialidades de um paradigma filológico reconceptualizado a partir da dinâmica de descentramento referida e, assim, aberto a todas as interpelações suscitadas por uma “crise” das Humanidades entendida não como factor paralisante, mas sim como convite a uma renovação auto-reflexiva. A definição da atitude filológica por Edward Said – “a detailed, patient scrutiny of and a lifelong attentiveness to the words and rhetorics by which language is used by human beings who exist in history” – poderá servir de ponto de partida a um conjunto de interrogações susceptível de unir os estudos de linguística, de literatura e de cultura em torno de questões como, entre outras: qual o lugar específico dos estudos literários no seio dos paradigmas actuais das Humanidades e das Ciências Sociais?; faz sentido a distinção entre arte/literatura e cultura?; qual o lugar dos textos (e das textualidades) no âmbito de dinâmicas culturais crescentemente performativas?; qual o contributo da Germanística para uma definição do contemporâneo?
 
A reflexão estará orientada para o equacionar do conceito de uma filologia do futuro como parte inalienável de uma estratégia global de conhecimento. Tal reflexão parte do pressuposto de que a memória dos textos constitui um aspecto fundamental da produção de contemporaneidade como traço definidor das Humanidades. Deste ponto de vista, trata-se de analisar processos muitas vezes de longa duração a partir da complexidade de um presente concebido de um modo denso e das específicas configurações espácio-temporais que definem essa complexidade. Inserida no contexto global de reflexão das Humanidades, a Germanística articula-se, assim, como crítica ao presentismo que constitui uma marca fundamental das lógicas culturais actualmente dominantes e recoloca no âmago da reflexão o conceito de texto – não para recuperar uma mítica centralidade, mas para tomar esse conceito como nó irradiante de uma rede de significados sociais que remete de um modo único para todas as questões essenciais da relação entre o sujeito, a linguagem e o mundo.
 
Convidam-se todos os interessados, sócios da APEG e de associações congéneres ou investigadores no âmbito dos estudos germanísticos a participarem neste colóquio internacional com comunicações que, num sentido amplo, se enquadrem no tema geral do congresso. Entre os temas possíveis, sem qualquer preocupação de exaustividade, poderão figurar os seguintes:
 
-       Filologia e humanismo crítico
-       Revisitações da história da disciplina
-       Literatura e conhecimento
-       A memória dos textos
-       Filologias digitais
-       Filologia, transculturalidade e comparatismo
-       Filologia e tradução
-       A filologia tem sexo?
-       Releituras críticas
-       Linguística e renovação da filologia
-       Materialidades da literatura
-       Textualidade e mediação
-       Filologia e ciberliteratura
-       Filologias pós-coloniais
-       Filologia e literatura infanto-juvenil
 
 
As línguas de trabalho serão o português e o alemão. Dado o carácter internacional do congresso, a organização encoraja o uso da língua alemã.
A apresentação de comunicação pressupõe o envio de uma proposta até ao dia 30 de Dezembro de 2011. A proposta, com um máximo de 750 caracteres, deverá ser enviada em formato Word, acompanhada por uma breve nota biográfica, para o endereço: apeg.tagung.2012@fl.uc.pt. O tempo previsto para cada comunicação não excederá em caso algum os 20 minutos.
As propostas serão seleccionadas de acordo com critérios de relevância temática e qualidade científica, sendo os/as proponentes informados/as da decisão até 31 de Janeiro de 2012.
Não está prevista a publicação de actas. No entanto, a organização poderá ponderar a publicação de um ou mais volumes com textos seleccionados.
 
Prazos e custos de inscrição:
 
Sócios/as da APEG: 25 Euros (até 31 de Março de 2012)
                                 40 Euros (depois de 31 de Março de 2012)
Não-sócios/as: 50 Euros (até 31 de Março de 2012)
                         70 Euros (depois de 31 de Março de 2012)
 
 
 
Comissão científica: António Sousa Ribeiro, Catarina Martins, Fernanda Mota Alves, Isabel Capeloa Gil, Júlia Garraio, Maria Francisca Athayde, Maria Teresa Cortez, Mário Matos, Rogério Madeira.
 
Comissão organizadora: António Sousa Ribeiro, Catarina Martins, Júlia Garraio, Maria Francisca Athayde, Maria Teresa Cortez, Rogério Madeira.

Comentar:

Cada comentário só será publicado no site após aprovação pelos responsáveis da REAL
O email facultado não será divulgado




Sistema de Segurança CAPTCHA
CAPTCHA gerado automaticamente

 

Topo